Um ruído raro ouvi

por Alexandra Santos 0

Um ruído raro ouvi

Naquela noite de terror

Pensei num ser estranho

E gritei com horror.

Um ser era certamente,

Mas de estranho nada tinha

Era o cão que roía

O tapete da cozinha!

Descansada regressei

 à cama de onde vinha!

Dormir é que foi difícil:

Sonhei com os ratos da vizinha!

Acordei sobressaltada

Com tamanho pesadelo

E ouvi outro som estranho

Que parecia um apelo.

Devagar, devagarinho,

Pé ante pé,

Consegui abrir a porta

E ver o choro de um menino!

Em frente a mim estava

Com os seus olhos arregalados

Queria os seus dois ou três anos

De criança embalados

Com pena lá aceitei pegar no menino

E abracei-o com cuidado

E todo o meu carinho.

Mas de repente uma dor

Surgiu no meu peito

A criança saciou

Toda a fome de respeito.

Abri os olhos e reparei

Que outro sonho tinha sido

A criança lá não estava

E o choro tinha desaparecido.

No entanto a dor no peito,

Essa, continuava.

Era um vazio imenso que existia,

um vazio que lá morava.

Olhei então em meu redor

E reparei em muitos meninos

Que tal como aquele queriam

muitos abraços e mimos.

Um escolhi então para ser o menino

Dos meus sonhos.

E o meu vazio encheu-se

Apenas de olhos risonhos.

 

Imagem via Dicas Pais e Filhos

Alexandra Santos

Alexandra Santos nasceu em 1980, em S.Romão do Coronado, concelho da Trofa, onde ainda reside. Licenciou-se em Ensino de Português e Inglês pela Universidade do Minho em 2003, tendo trabalhado sempre, a partir daí, na área da educação. Devido ao gosto pela escrita, tornou-se igualmente escritora, sendo a autora do livro de poesia Palavras Sussurradas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.