Passado com futuro

por Nuno Martins 0

Perdidas algures no meio do manto florestal do “Monte Grande” podemos encontrar as ruínas da que foi em tempos remotos a capela de São Barnabé. Não posso precisar a data da sua construção, mas já em 1758 o então Pároco de Alvarelhos, António Moreira, citava para o Dicionário Geográfico e Corográfico de Portugal a existência de 5 capelas na freguesia: Santa Eufémia, São Roque, Nossa Senhora do Carmo, São Marçal e São Barnabé.

Se as três primeiras são hoje locais bem conservados e até de pujante desenvolvimento, já a capela de São Marçal, situada em terrenos da Quinta do Paiço, e esta Capela de São Barnabé na encosta da Serra de Santa Eufémia, encontram-se em escombros e perdidas nas memórias dos nossos avós e no desconhecimento dos mais novos.

Pensando para os meus botões… não haveria possibilidade de, uma vez que estão em propriedades privadas, pegar nestas pedras e reconstruir estas capelas em locais públicos da freguesia? Não haverão documentos, pinturas ou desenhos, memórias dos mais antigos, com dados sobre as mesmas para se poder reconstruir o mais fielmente possível o monumento original? Atendendo a que eram ermidas pequenas e humildes, penso que tal empreitada não ficaria por valores incomportáveis. E este “renascimento” destas capelas não teria de ser para serviço religioso, mas também poderia ser, antes com um fim histórico-cultural, embelezando a freguesia, mostrando aos de fora a nossa História, recuperando vivências dos nossos antepassados e reavivando memórias nos mais velhos, que ainda as têm desses locais serem locais de devoção.

Confesso que sou um apaixonado pela História, pela arte e monumentos que nos mostram tempos remotos. Sou nostálgico ao imaginar épocas imemoriais, como seria o povo e o seu viver. Como isso moldou aquilo que são hoje as pessoas e a minha terra. Esta era daquelas causas em que me empenhar-me-ia, e penso que com um pouco de contributo da paróquia, Junta de Freguesia, instituições, empresas, “forças vivas” e particulares, e quem sabe da Câmara Municipal, seria algo perfeitamente realizável. Fica a ideia e o primeiro voluntário!


Nuno Martins

Sou o Nuno, nasci no Porto em 1978 e sempre vivi em Alvarelhos. Poder dizer o que penso e não o que os outros querem que eu diga é para mim a maior conquista do 25 de Abril. Essa é a principal premissa deste espaço, por isso posso dizer também e com orgulho que a Trofa é minha!

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.