O Conde de São Bento

por Nuno Martins 0

Por certo todos conhecemos ou pelo menos já ouvimos falar na Rua Conde de São Bento, bem no centro da Trofa. Mas quem foi este Conde de São Bento? A que se deve o seu nome nesta rua? É isso que, após alguma pesquisa pela internet, vou explicar neste breve texto.

Manuel José Ribeiro nasceu a 28 de Agosto de 1807 em São Miguel de Entre-Ambos-os-Aves, nome devido ao facto de nesta localidade se encontrar a foz do principal afluente do Rio Ave, o Rio Vizela, hoje conhecida por Vila das Aves devido à sua elevação a vila em 1955.

Manuel teve uma infância normal naquele tempo, ou seja, de trabalho para ajudar os pais que eram caseiros numa quinta nas Aves. Em 1818, com 11 anos, embarcou para o Brasil, mas o barco em que seguia foi assaltado por corsários perto da ilha da Madeira, e ele só com muita dificuldade escapou e conseguiu regressar a Portugal. No ano seguinte voltou a tentar a sorte, mas também desta vez não foi fácil. O barco naufragou, porém já perto da costa brasileira, e ele conseguiu salvar-se e chegar ao Brasil.

Trabalhou em várias cidades próximas do Amazonas, e abriu negócio por conta própria em 1837. Devido ao seu empreendedorismo fez fortuna no negócio. Em 1874 decidiu instalar-se definitivamente em Santo Tirso, transferindo toda a sua riqueza para Portugal.

E foi já nesta altura adiantada da sua vida que Manuel José Ribeiro tornou-se popular e admirado na então vila de Santo Tirso, por causa da sua generosidade para ajudar e atender todos quantos se lhe dirigiam para pedir ajuda, fossem pobres ou pedidos para construir escolas ou outros edifícios públicos, em Santo Tirso mas não só. Entre algumas dessas ofertas contam-se as terras e edifício que são hoje a Escola Agrícola, a escola primária de Santo Tirso, o terreno que é hoje o Parque D. Maria II, onde na altura mandou construir o Hospital da Misericórdia. Ofereceu outros terrenos à Câmara Municipal, custeou o edifício do Club Thyrsense e mandou construir a primeira fábrica deste concelho, a Fábrica de Santo Thyrso, onde empregou 50 operários. Ajudou muitas paróquias em todo o Minho, foi ele que pagou a reconstrução da igreja de Santiago da Carreira e a Igreja Matriz de Santiago dos Arcos, e foi um grande benfeitor da Capela de Nossa Senhora das Dores, na Trofa. Foi sócio protector de vários estabelecimentos de beneficência, como o Grémio Literário Fayalense, o Hospital Maria Pia no Porto e a Real Sociedade Humanitária também no Porto.

Em 1875 foi tornado Comendador de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. Em 1881 o governo deu-lhe o título de Visconde de São Bento. E em 1886 foi agraciado pelo Rei D.Luiz I com o título de Conde de São Bento.

Morreu no dia 26 de Março de 1893 e repousa hoje no jazigo mandado construir pelo seu sobrinho e herdeiro José Luís de Andrade, e que se encontra no claustro do Mosteiro de Santo Tirso. Vários locais e edifícios de Santo Tirso o homenageiam hoje com o seu nome honorífico, como a Escola Agrícola, a Escola Primária e o Hospital Conde de São Bento.

Com este breve resumo da sua vida ficamos a conhecer o Homem que tanto fez por Santo Tirso mas também pela Trofa e outras localidades, e por essa razão um nome tão conhecido nas redondezas.

Nuno Martins

Sou o Nuno, nasci no Porto em 1978 e sempre vivi em Alvarelhos. Poder dizer o que penso e não o que os outros querem que eu diga é para mim a maior conquista do 25 de Abril. Essa é a principal premissa deste espaço, por isso posso dizer também e com orgulho que a Trofa é minha!

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.