A Trofa está entregue aos bichos

por César Alves 0

                Se dúvidas existissem, o dia 21 de setembro confirmou o que se suspeitava: o nosso concelho está, definitivamente, entregue à bicharada. O dia de ontem viu sucederem-se uma série de acontecimentos, aparentemente aleatórios, que quando bem analisados, demonstram a teia que decide os destinos desta cidade. Vamos aos factos.

O contexto

                No passado domingo, o jornal O Notícias da Trofa informou que endereçou um convite aos candidatos à presidência da Câmara Municipal da Trofa, para um debate autárquico, dando oportunidade aos trofenses de, na caixa de comentários, deixarem sugestões de perguntas. A informação pode ser comprovada na imagem que se segue. A publicação data de 18 de setembro de 2017.

               No dia 21 de setembro de 2017, pelas 10h da manhã, a coligação PSD/CDS-PP Unidos pela Trofa, liderada pelo atual presidente da Câmara Sérgio Humberto, emitiu um comunicado, em que informa da sua recusa em participar no debate promovido pel'O Notícias da Trofa, acusando o jornal de falta de isenção.

               

                Dou de barato que a coligação acuse o jornal O Notícias da Trofa de falta de isenção. A história é longa, o conflito também, e já aqui neste blog falamos sobre o assunto. Não é o tema que vem à questão, de momento.

                O que mais me indignou neste comunicado, e estando eu no meu direito pleno de cidadão de poder opinar o que quero e bem me apetece, desde que não atente contra ninguém, escrevi no meu perfil pessoal os meus pensamentos sobre a questão. Acho, e reafirmo aqui, ridícula a acusação de falta de isenção a'O Notícias da Trofa, quando todos conhecemos (e se não conhecermos é por falta de vontade), a situação do Correio da Trofa, um jornal cuja origem ainda hoje é dúbia, um jornal que esteve ilegal, um jornal cujo estado ainda se desconhece com exatidão, um jornal que não é nada mais do que um pasquim de propaganda política, que serve dois propósitos: endeusar o atual executivo que lidera a Câmara Municipal da Trofa e criticar os seus opositores, muitas vezes descendo a um nível que devia envergonhar qualquer trofense. No entanto, a situação mais caricata aconteceu quando, no mesmo dia da saída do comunicado da coligação, o Correio da Trofa veio para as bancas com entrevistas aos candidatos da coligação... E só. Nem sinal do Partido Socialista, nem sinal da CDU, ou do movimento SIM pelo Muro. Isenção, hein?

                Quanto a esta questão, das duas, uma. Ou o Correio da Trofa contactou, efetivamente, os restantes partidos, no sentido de realizar uma entrevista (e, nesse caso, à ausência de uma resposta, o "jornal" apenas teria de informar os seus leitores do facto. E não o fez.), ou então, não contactou, pois não interessa ao Correio da Trofa ouvir e dar tempo de antena ao Partido Socialista ou à CDU.

A coincidência               

                Achei eu, na minha inocência, que a situação ficaria por ali. Infelizmente, tenho-me habituado à ideia de que o podre continuará podre e eu tenho é de tratar de viver a minha vida e ser feliz.

                Foi com espanto que, às 23:07 do dia 21 de setembro, recebo um Pedido de Mensagem, ou seja, uma mensagem de alguém que não faz parte dos meus amigos no Facebook. A mensagem vai reproduzida na imagem seguinte:

             Soltei uma bela de uma gargalhada. Percebi logo todo o caso. Era um dos célebres ataques de perfis falsos dos quais tanto já falamos por aqui. Abri o perfil e, claramente, não poderia ser mais evidente de que estamos, precisamente, perante um desses casos.

             

                Então o que sabemos nós sobre esta estranha pessoa, chamada Vera Sofia Silva Araújo? Sabemos que é da Trofa, embora eu nunca tenha visto a sua cara. Por favor, caro leitor, se souber do paradeiro da senhora, indique-me. Gostava de a conhecer. Mandou-me uma mensagem privada e nem para um café me convidou, apesar de me ter mandado "beber". Acho de mau tom.

                Depois, podemos perceber que estudou na Escola Secundária da Trofa e na Universidade do Minho e que, atualmente, trabalha na MEO. O seu "bairro" é São Martinho de Bougado.

         

                Como é óbvio, não podemos aceder à sua lista de amigos, embora tenha 38 seguidores. Desses, nenhum me chamou particularmente à atenção, pelo que deixarei as suas identidades salvaguardadas neste artigo. A informação está lá.

                Tentei procurar alguma atividade da Sra. Dª Vera Sofia Silva Araújo e... encontrei! Sim, ela comenta publicações e emite opiniões! Ainda bem, a esta altura estava preocupado com a legitimidade desta senhora.

                Ah... Legitimidade. É na página Trofa Digital. Claro que é na página Trofa Digital.

               Como esta "bomba" de propaganda política à coligação PSD-CDS/PP (não acredita? Faça meia dúzia de scrolls na página e conte quantas vezes vê publicações ligadas à coligação) já nos habituou, age nas sombras, nos meandros, com atividade duvidosa, timmings de publicações curiosos, e ilegalidades (como o caso do CAE falso) e ainda tem o desplante de publicar, pouco depois da mensagem que recebi da Sra. Dª Vera Sofia Silva Araújo, o seguinte:

                É só fazer uso da capacidade racional que todos temos. Emito uma opinião pública, acerca de orgãos de poder do nosso concelho, que são constantemente protegidos por dois pseudo orgãos de comunicação social. No mesmo dia, sou insultado por um perfil falso, perfil esse que comenta sistematicamente as publicações de um dos pseudo orgãos de comunicação social, sempre em favor da coligação PSD/CDS-PP.

                Para adicionar algo à festa, deixo apenas algumas imagens da edição nº 100 do Correio da Trofa, a tal que prometeu entrevistas "aos candidatos das Juntas de Freguesia" e que apenas entrevistou e/ou contactou quem lhe interessava.

                Por último, deixo o Estatuto Editorial do Correio da Trofa, cuja escrita está apenas ao alcance de alguém sem vergonha na cara. Deixo para que, caro leitor, da próxima vez que ler o pasquim, saiba bem o que tem nas mãos.

                Infelizmente, é o estado a que o nosso concelho da Trofa chegou. Sou insultado por um perfil falso, criado com o intuito de dar "voz" ao Trofa Digital, através de comentários e gostos (quantos dos 46 634 gostos serão legítimos?) e também para insultar as pessoas que emitem as suas opiniões com consciência e pensamento. Lamento, lamento muito o que estão a fazer à Trofa, lamento o circo em que este concelho se tornou nestes 4 anos. Dos abusos de poder, à falta de respeito, ao baixo nível, aos enganos, mentiras e manipulações, passando por tiques ditatoriais dignos de um livro de Orwell. É triste a forma como estão a ensinar os nossos jovens, é triste a cegueira que se instalou, comprada com meia dúzia de artistas, um churrasco aqui e um almoço de quarenta mil euros ali. É deplorável o que está a acontecer e, mais deplorável ainda, é apenas uma pequenina parte da população perceber o que se passa. Aqui afirmo: é a primeira e última vez que falo da página citada. Não dou tempo de antena a algo que é maléfico para a cidade da Trofa e para a sociedade em que eu vivo. De resto, continuarei a opinar, a refletir, a falar quando achar que devo falar e, sobretudo, a ser eu mesmo, procurando melhorar a cada dia que passa, sendo um jovem interessado, ambicioso e preocupado em ajudar o que vêm a seguir a mim a serem melhores. Porque, em fevereiro do ano passado, fui apelidado de "Orgulho Trofense" por parte de 3 grandes personalidades do atual executivo. Eu mantenho a minha postura e a minha forma de ser. E vocês?

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.