Zurra 2017 - a Festa do Burro está de volta ao Coronado

por João Mendes 0

A quarta edição da Zurra – Festa do Burro está a chegar e abre as suas portas este Domingo, dia 17 de Setembro, na freguesia do Coronado. O mote desta festa, nas palavras da organização, é “dignificar, revalorizar e promover o Burro; ao mesmo tempo, promover a criatividade e inovação artísticas, sob linguagens mais alternativas, longe do mainstream”, e para isso conta com uma programação rica e diversificada, que se prolonga entre as 09:30h e as 21h. São quase 12 horas de ar livre, expressão artística, ecologia, muita animação e, recorrendo uma vez mais às palavras da organização, “muitos sorrisos e animadas discussões em prol de um mundo mais sustentável e harmonioso”. A tudo isto, que já não é pouco, juntam-se as estrelas do dia: os burros, esses inteligentes e harmoniosos animais.

ZURRA | programação
09h30 – abertura de portas e… das Exposições
10h00 – Aula de Yoga
10h45 – Teatro | Marionetas | peça Os Músicos de Bremen | pela APVC
11h00 – Caminhada com Burros
14h30 – Animação de Rua + Música + Palestras + Aula do Burro
15h30 – Teatro | Marionetas | peça Os Músicos de Bremen | pela APVC
17h30 – Teatro | peça ARRE | pela companhia Rei Sem Roupa + AEPGA
21h00 – encerramento…

Porém, se a ansiedade for muita, e apesar da grande festa decorrer apenas no Domingo, o contacto com a natureza e com a arte começa logo no Sábado, com a pré-Zurra, uma espécie de abertura não-oficial onde, a partir das 21:30h, poderão assistir aos concertos dos Marc Daniels Acoustic Avenue e dos Pulha Seltzer. Os burros já confirmaram presença.

Sempre com o foco na promoção de um planeta mais sustentável e harmonioso, a programação inclui também a divulgação e comercialização de produtos e serviços que podem dar um contributo decisivo para a prossecução deste objectivo, bem como actividades lúdico-didácticas orientadas para os mais novos.

A organização do certame fica uma vez mais nas mãos da frutuosa parceria entre a APVC (Associação para a Protecção do Vale do Coronado – Trofa, Porto) e a AEPGA (Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino – Miranda do Douro, Bragança), que com o precioso apoio de um colectivo de artistas plásticos e criativos culturais farão acontecer esta que é a quarta edição da Zurra. A entrada é livre mas, como refere, e bem, a organização “os Burros não comem pedras e os Artistas não vivem do ar”. Como tal, e porque todos os custos desta iniciativa ficam a cargo das entidades organizadoras, a melhor maneira de ajudar esta e outras actividades da APVC é mesmo tornando-se sócio, pela muito módica quantia de 5€ anuais. Pode também doar uma quantia no dia do evento, por mais pequena que seja, ou fazer transferência bancária para a conta da APVC (IBAN: PT50 0010 0000 5163 5820 0013 4).

Poderia continuar aqui por parágrafos e mais parágrafos, mas prefiro deixar ao critério dos nossos leitores a continuação da descoberta, para aqueles que ainda não conhecem ou que querem apenas saber mais sobre esta iniciativa, bem como sobre as edições anteriores ou sobre a APVC, uma associação dinâmica e fiel ao seu propósito. Deixo-vos por isso uma série de hiperligações, nomeadamente os vídeos das reportagens que a RTP e a Trofa TV dedicaram à edição de 2016. O evento tem lugar ao lado da centenária Poça Nova, Coronado, zona de São Mamede, Trofa (GPS: 41.279686, -8.579105), na Rua de Soeiro, s/nº, Paiço. Querem um Domingo diferente? Aí o têm!

 

Informação adicional:

Página 4ª Zurra - Festa do Burro l Coronado APVC + AEPGA Facebook (hiperligação) - toda a informação sobre actividades, artistas, exposições, sustentabilidade e muito mais!

Blog APVC (hiperligação)

Facebook APVC (hiperligação)

Zurra 2016 - reportagem RTP (hiperligação)

Zurra 2016 - reportagem Trofa TV (hiperligação)

Zurra 2016 (pré-Zurra) - reportagem Trofa TV (hiperligação)

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.