Uma proposta honesta para o nome da Alameda

por José Maria Moreira da Silva 0

Recentemente foi apresentado o Projeto de Requalificação do Corredor Central, a popularmente chamada Alameda da Estação, que para ser efetuada terão que ser aprovados os projetos apresentados em programas de apoio, concretamente ao programa Norte2020, ao programa Portugal2020, à CCDR (Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional) e à U. E. (União Europeia). É uma obra importante e mais que necessária, para a requalificação de uma zona central da cidade da Trofa.

A referida obra do Corredor Central, a vir a ser construída será, conjuntamente com o Parque Nossa Senhora das Dores, a nossa sala de estar e a nossa sala de visitas dos forasteiros, que passem ou venham visitar o nosso concelho. Que se espera, e deseja, que sejam mesmo muitos, para o bem da nossa economia, para o bem do comércio local, para bem da nossa felicidade!

A Alameda terá que ter um nome dignificante, que nada tenha a ver com factos que, neste tempo de crispação exacerbada, não dividam ainda mais os trofenses, mas que tenha um forte vínculo ao Município, aos trofenses, pois a Trofa precisa é de uma verdadeira e forte união, para poder avançar em direção a um futuro próspero e risonho. O que a Trofa precisa é de restabelecer o «trofismo» perdido e qualquer ideia menos positiva para batizar a Alameda, com um nome pouco ou nada consensual é uma enorme asneira, pois só irá criar ainda mais divisão e crispação. Isso nunca! Já temos quanto baste.

É verdade que já estamos em pré-campanha eleitoral, para as eleições autárquicas do próximo ano, e este tempo é convidativo para propostas eleitoralistas. Esse tipo de aproveitamento, para batizar o nome da Alameda com um nome não consensual pode criar fissuras graves nos trofenses. Peço a «todos os santos e santas», para que os decisores não caiam nesse eleitoralismo fácil, que lhes pode sair muito caro, em termos de simpatia e votos.

É meu dever como cidadão trofense opinar e apresentar publicamente uma proposta honesta, para o nome da Alameda. O Concelho da Trofa, já atingiu a sua maioridade. Foi há pouco tempo, bem sei, pois festejou no passado dia 19 de novembro o seu 18º aniversário. Foi no glorioso dia 19 de novembro de 1998, que fomos a Lisboa buscar o Concelho. Foi no vitorioso dia 19 de novembro de 1998, que foi criado o Concelho da Trofa. Por tudo isto o nosso feriado concelhio, que foi bastante consensual, é o dia 19 de novembro.

Esse mês de novembro e esse dia 19 caminham para dentro de nós, para que possamos ser nós próprios a gerir o nosso destino. Foi no dia 19 de novembro que conquistamos a nossa «carta de alforria». Já não dependemos de outros. Somos donos do nosso próprio destino. Agora temos o futuro nas nossas mãos.

Uma sala de estar, uma sala de visitas, um espaço agradável por onde se passa e onde se recebe os visitantes, os turistas, um local que enfeita a cidade, que embeleza a cidade, um local de referência e de vaidade dos trofenses deve ter um nome nobre, um nome condizente com o local, um nome que tenha uma forte afetividade com os trofenses. Por tudo isto proponho que a Alameda se chame “Alameda 19 de novembro”.

É este nome tão dignificante que encontrei, para se batizar a Alameda e não criar qualquer tipo de divisões nos trofenses. Bem pelo contrário! É um nome consensual, pois são poucos os trofenses que estão contra a criação do Concelho da Trofa, que estão contra o dia 19 de novembro. Espero, e desejo, que haja boa-fé e bom senso, para o bem de todos.

(originalmente publicado na edição de 16 de Dezembro de 2016 do jornal O Notícias da Trofa)

José Maria Moreira da Silva

A liberdade é muito mais que uma simples escolha; ela alimenta os sonhos dos que não têm medo ou preguiça de sonhar. É a possibilidade de usar a razão, em concordância com o nosso pensamento.

Quero aproveitar este espaço de liberdade, para ser livremente livre naquilo que penso e escrevo, sem qualquer tipo de medos ou amarras.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.