O Parque das Azenhas e os “calhaus com olhos”

por João Mendes 0

O país ficou hoje a saber aquilo que todos os trofenses já sabiam há várias semanas: a inauguração do Parque das Azenhas foi uma manobra eleitoralista mal calculada. Depois da notícia publicada hoje no JN (e que podem ver neste post), também o telejornal da SIC deu alguns minutos a este triste episódio que nos mostrou que o eleitoralismo está vivo mas, aparentemente, já não se recomenda.

Segundo o JN, o “Parque inaugurado na campanha fechou no dia seguinte às eleições“. Quem diria? Os experts trofenses na matéria garantiam que estava tudo impecável! Mas esse “calhau com olhos” que é a Ana Correia Costa, jornalista do Jornal de Notícias que assina a peça, vai mais longe na sua heresia e diz mesmo que “o primeiro passeio pedonal e ciclável da Trofa apenas conseguiu manter a boa forma até ao momento do sufrágio“. Inacreditável! Esta senhora só pode querer o “retrocesso” da Trofa. Isto de “criticar por criticar” é mesmo de gente fraca. Acho que vou criar um blog para atacar estas faltas de educação. Vai chamar-se “Ao Contrário“. Ou, quem sabe, “Sou um boy partidário e defendo o meu líder mesmo que ele esteja a iludir os eleitores”. Acho que daria um bom nome para um blog! Estou dividido…

Voltando a essa maldade que foi fecharem o parque que, segundo os mesmos experts supracitados, estava concluído e em perfeitas condições, o JN cita um trofense, de seu nome Américo Costa, para nos dar a conhecer que o Parque das Azenhas foi fechado no dia 30, imediatamente a seguir às eleições que o PS perdeu. Segundo o mesmo testemunho, estiveram por lá uns engenheiros que, depois da sua análise, concluíram que o espaço não cumpria todos os requisitos de segurança. Ficamos a saber que para além da manobra eleitoralista, existiu ainda negligência por parte dos responsáveis envolvidos. O que torna a situação ainda mais grave.

Posto isto, existe uma última pergunta que se coloca: Onde estão os furiosos socialistas (e restantes apoiantes de circunstância) que atacaram de forma insultuosa aqueles que chamaram legitimamente a atenção para este caso? Onde estão os “calhaus com olhos“, os vilões que “criticam por criticar” e os infelizes com “palas” nos olhos? Uma sugestão: peguem nos vossos “pseudo-argumentos“, na vossa vassalagem e/ou no vosso clientelismo e vão engraxar sapatos para outra freguesia.

Não é que se “torna (mesmo) divertido morar na Trofa“?

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.