O rapaz “normal”

por Alexandra Santos 0

João era um rapaz tímido. Apenas falava quando era interpelado e não gostava de o ser. Sentia-se nervoso quando algum professor lhe pedia para responder a uma pergunta ou para dar uma opinião sobre qualquer tema. Todos os olhos que ele sentia na sua direção criavam ruído, abafavam a sua alma e as únicas palavras que ele conseguia pronunciar saiam-lhe de forma repartida. Falar era, sem dúvida, um problema.

         Dizem que tudo começou quando tinha 3 anos e, como era constantemente corrigido, perdeu a vontade de comunicar. As pessoas não tinham paciência para esperar que ele acabasse uma frase e ele não tinha paciência para sucessivas adivinhações de tudo aquilo que tentava dizer. A frustração agudizava a gaguez e quanto mais ele gaguejava, mais ridicularizado era pelos outros. Diziam que era bullying, mas a identificação do termo representativo do problema não o resolvia. Muitas vezes fechava-se no seu próprio universo. Era ele contra o mundo! Pelo menos era assim que se sentia!

         Os pais que queriam que ele fosse “normal” levaram-no a vários psicólogos e, de tratamento em tratamento, ele continuava igual. No entanto, um dia, num qualquer início de um ano escolar, conheceu uma professora de Português que esperava por ele… esperava que ele terminasse a palavra, a frase, a ideia... Com a sua voz calma e meiga incitava-o a falar. Os colegas apenas se riram uma vez… bastou a explicação de que também ela tinha tido o mesmo problema quando era mais nova… bastou a explicação de que ninguém é perfeito e se um dia criticas alguém… no outro serás tu criticado…

         Pouco a pouco, João foi melhorando a sua comunicação oral e, com o passar dos anos, deixou de gaguejar. Já era uma pessoa “normal”, diziam os seus pais e os seus vizinhos. Ele, contudo, não gostava do termo…  se “normal” implicava excluir todos aqueles que são diferentes por este ou aquele motivo não o queria ser. Não era uma pessoa “normal”! Sentia agora orgulho de si, do seu passado e do seu presente… e inspirado pela primeira pessoa que o quis realmente ouvir, decidiu também ele dar atenção a tudo aquilo que os outros tentam dizer e fazer disso profissão de forma a ajudar todos aqueles que, tal como ele, querem ter a sua própria voz.

Alexandra Santos

Alexandra Santos nasceu em 1980, em S.Romão do Coronado, concelho da Trofa, onde ainda reside. Licenciou-se em Ensino de Português e Inglês pela Universidade do Minho em 2003, tendo trabalhado sempre, a partir daí, na área da educação. Devido ao gosto pela escrita, tornou-se igualmente escritora, sendo a autora do livro de poesia Palavras Sussurradas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.