Janela para o Mundo

por Alexandra Santos 0

Mandam-me embora para não escutar,

Mandam-me para o quarto para não observar,

Mas consigo ouvir tudo… todas as discussões…

Todas as culpas, todas as desilusões…

 

Mandam-me ser honesto e bem-educado,

Mandam-me cumprimentar e ser bem comportado,

Mas assisto a crimes, a lutas, a guerras,

A corrupções e a mentiras sinceras…

 

Mandam-me abraçar todas as diferenças,

Mandam-me tratar o outro de forma igual,

Mas tudo o que vejo é pérfida falsidade,

É preconceito, é hipocrisia e vaidade…

 

Mandam-me cuidar da divinal natureza,

Mandam-me reciclar, reduzir e plantar,

Mas só me deparo com a profana poluição,

Com o veneno do progresso e muita destruição…

 

No meu quarto abro uma janela para o mundo que sonhei:

Um mundo com amizade e amor a transbordar;

Um mundo de beleza e ar puro para respirar;

Um mundo com bons dias, simpatias e perdões;

Um mundo com alegrias, paz e inclusões.

Em cada um uma janela para este mundo gostaria eu de criar

Para que todas as crianças não precisassem de imaginar…

 

 

In Palavras Sussurradas, livro de poesia de Alexandra Santos

Alexandra Santos

Alexandra Santos nasceu em 1980, em S.Romão do Coronado, concelho da Trofa, onde ainda reside. Licenciou-se em Ensino de Português e Inglês pela Universidade do Minho em 2003, tendo trabalhado sempre, a partir daí, na área da educação. Devido ao gosto pela escrita, tornou-se igualmente escritora, sendo a autora do livro de poesia Palavras Sussurradas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.