Pela Liberdade

por João Mendes 0

Um dos grandes trunfos de alguns políticos “habilidosos” é a falta de memória de significativa parte do eleitorado, algo natural numa sociedade em ruptura e permanentemente bombardeada com quantidades industriais de informação. Um dos motivos que levou à criação do projecto …e a Trofa é Minha foi precisamente colmatar essas lacunas na memória colectiva dos trofenses, criando um repositório de informação, agregando dados que se complementam e procurando entregar, de forma gratuita e sem objectivos terceiros, reflexões estruturadas sobre os problemas que afectam o nosso concelho. E é por isso, acredito, que a nossa equipa tem vindo a aumentar, que o número de trofenses que nos segue cresce todos os dias e que as nossas audiências sobem sem parar há quase três anos.

Num dia tão simbólico como aquele que hoje celebramos, dirijo-me em primeiro lugar aos nossos leitores para lhes agradecer pela preferência, por acompanharem e ajudarem o nosso projecto a crescer visitando o nosso espaço, partilhando os nossos conteúdos, discutindo ideias, oferecendo-nos os vossos contributos e enviando mensagens de motivação que muita força nos dão para remar contra a maré. Muito obrigado! 

Como co-fundador do …e a Trofa é minha, quero também agradecer à Silvéria por estar comigo desde o primeiro dia, ainda que a vida não lhe permita hoje o mesmo grau de actividade que em outros tempos, bem como a todos os eatrofaeminhenses que se foram juntando a nós pelo caminho, que permitiram abrir o espaço a outros conteúdos, que nos trouxeram outras sensibilidades e histórias e que hoje fazem deste espaço um fórum onde cabe a política, a sociedade, a literatura, a história do nosso concelho, a fotografia e até as entrevistas a diferentes personalidades locais que engrandecem o nome do concelho da Trofa. Obrigado por nos ajudarem a levar este projecto para outro nível.

A democracia constrói-se todos os dias. Num panorama político dominado por entidades partidárias, ter a ousadia de querer discutir, debater e esmiuçar os temas que a todos nos afectam e importam é um acto de uma rebeldia salutar que incomoda os interesses instalados mas que não pode não se deve sentir intimidada por eles. O 25 de Abril abriu as portas da participação cívica a todos os portugueses e esse é um direito do qual não podemos nem devemos abdicar. Nós por cá continuaremos a discutir, debater e esmiuçar, sem medo nem clientelas, e a lutar por uma Trofa mais transparente, equilibrada e justa, mas também pela divulgação cultural, pela resolução dos pequenos grandes problemas que a todos afectam e pelo direito à informação e à liberdade de expressão. Pela Liberdade, doa a quem doer.

25 de Abril sempre! 

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.