3º Como nasceu a Comissão Promotora do Concelho da Trofa

por José Maria Moreira da Silva 0

Como membro que fui do Secretariado Permanente, da Comissão Executiva e da Comissão Promotora do Concelho da Trofa, não pretendo fazer aqui neste espaço do “…e a Trofa é minha”, a História do Concelho, mas tão só dar pequenos contributos e contar pequenas histórias, que nunca foram contadas, ou contá-las como acho que aconteceram, sobre a Criação do Concelho da Trofa.

Depois de muitos anos de vontade e de lutas pela emancipação, poder-se-á dizer desde 6 de novembro de 1836, data em que as 8 freguesias, que hoje constituem o Concelho da Trofa foram retiradas do Concelho da Maia e integradas no então criado Concelho de Santo Tirso. Foi uma anexação abrupta e sem qualquer nexo, pois poucas ou nenhumas afinidades sociológicas existiam.

Por isso, ao longo do tempo existiram muitos episódios emancipalistas das gentes da Trofa, com a ideia da obtenção da «carta de alforria» sempre a pairar nas mentes dos trofenses. A luta foi crescendo até aos nossos dias, inclusive existiu em 1989 uma Associação Pró-Concelho da Trofa, que tinha por finalidade o apoio à criação do Concelho da Trofa, constituído pelas 8 freguesias, que hoje fazem parte integrante do nosso Concelho.

Em 16 de Maio de 1984 foi constituída a Vila da Trofa, que incluía as freguesias de S. Martinho de Bougado e Santiago de Bougado. Em 14 de dezembro de 1990 nasceu uma Comissão, que foi a criadora da Comissão Promotora do Concelho da Trofa, eleita numa Assembleia de Freguesia de S. Martinho de Bougado, que era presidida por Pedro Alves da Costa, eleito pelo Partido Socialista e que, pelo cargo que ocupava, foi nomeado, o primeiro e único Presidente da Comissão Promotora do Concelho da Trofa. A Junta de Freguesia era presidida por Armindo da Costa Azevedo Júnior, eleito pelo Partido Socialista, assim como o Presidente da C. M. Santo Tirso, Joaquim Couto.

A referida Comissão foi constituída por 7 elementos escolhidos, entre os membros da Assembleia de Freguesia, da Junta de Freguesia e por outras personalidades da sociedade civil de S. Martinho de Bougado. Os elementos eleitos foram os seguintes: pela Assembleia de Freguesia foram eleitos Pedro Alves da Costa, Presidente; José Pereira Serra e Aníbal Costa; pela Junta de Freguesia Mário Pinto Ribeiro, Tesoureiro; como membros da sociedade civil de S. Martinho de Bougado José Costa Ferreira; Armando Martins e Eugénio Gomes. Este último elemento, Eugénio Gomes, acabaria por desistir pouco tempo depois, ficando a Comissão reduzida a 6 elementos.   

A referida Comissão teve como primeira missão estudar a possibilidade da criação de um Concelho que abrangesse as oito freguesias a ocidente de Santo Tirso e que haviam pertencido até 1836 ao Concelho da Maia, que são as freguesias que hoje constituem o mais novel Concelho do país, o Concelho da Trofa.

Na próxima Crónica será narrado o alargamento da Comissão Promotora do Concelho da Trofa à freguesia de Santiago de Bougado, cujas negociações foram morosas e difíceis.

José Maria Moreira da Silva

A liberdade é muito mais que uma simples escolha; ela alimenta os sonhos dos que não têm medo ou preguiça de sonhar. É a possibilidade de usar a razão, em concordância com o nosso pensamento.

Quero aproveitar este espaço de liberdade, para ser livremente livre naquilo que penso e escrevo, sem qualquer tipo de medos ou amarras.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.