Episódios sobre a criação do Concelho da Trofa - 1. A Comissão Instaladora do Concelho da Trofa foi designada há 17 anos

por José Maria Moreira da Silva 0

Neste espaço de liberdade quero que as minhas palavras escritas propagadas na minha vida transbordem de mim de maneira tão regular, necessária e espontânea, como o cheiro é emanado de uma flor. Vai ser esta a minha postura na ocupação periódica deste espaço.

Como é a primeira vez que aqui escrevo, não posso, nem devo deixar de agradecer o convite, sem qualquer tipo de diretriz ou impedimento, que me foi dirigido pelo João Mendes e pelo João Pedro Costa. Aqui está a minha resposta de anuência. Com muito gosto!

Como ex-membro do Secretariado e do Secretariado Permanente da Comissão Promotora do Concelho da Trofa, este meu primeiro testemunho escrito no final do ano e rebuscado bem lá fundo da minha memória, e talvez da memória coletiva dos trofenses, não podia deixar de lembrar o dia 30 de dezembro de 1998, dia em que foram oficialmente designados, pelo Conselho de Ministros, os membros da Comissão Instaladora do Município da Trofa, que tinha como principal missão, até às próximas eleições autárquicas de 2001, a gestão corrente dos destinos do mais novel Concelho do país, o Concelho da Trofa.

A designação dos membros da Comissão Instaladora foi uma «telenovela», que escreverei em próximos capítulos, mas foi da responsabilidade das Comissões Políticas Distritais dos Partidos Políticos que concorreram às eleições autárquicas anteriores, que se tinham realizado em 1997, e foi feita em consonância com os resultados eleitorais, nas 8 freguesias que vieram a constituir o Concelho da Trofa, e que tinham sido ganhas pelo PSD, seguido pelo PS e depois pelo CDS/PP.

Seguindo esse princípio coube ao PSD nomear dois membros, o PS outros dois e o CDS/PP um elemento. Ao PSD coube a Presidência da Comissão Instaladora, cuja nomeação recaiu em Bernardino Vasconcelos, que tinha sido candidato do PSD à Câmara Municipal de Santo Tirso e a António Pontes, que era o Presidente da Comissão Política Concelhia do PSD de Santo Tirso. O PS nomeou Afonso Paixão, ex-vereador da Câmara Municipal de Santo Tirso e José Agostinho Azevedo, um dos mentores e grande apoiante do movimento “Pensar Maia”, que nasceu para tentar dividir e lutar contra a criação do Concelho da Trofa, na Vila do Coronado. O CDS/PP nomeou Paulo Serra, respondendo assim à grande «dádiva» que tinha feito ao partido. E, assim, ficou constituída, com algumas surpresas desagradáveis, a Comissão Instaladora do Município da Trofa, que originou grandes divisões internas nos três principais Partidos Políticos.

Como diz o povo: «o que nasce torto tarde ou nunca se endireita»!

É o virtuosismo da sabedoria popular e o seu poder de «adivinhação». Infelizmente parece que acertou na «muche». Até agora!

José Maria Moreira da Silva

A liberdade é muito mais que uma simples escolha; ela alimenta os sonhos dos que não têm medo ou preguiça de sonhar. É a possibilidade de usar a razão, em concordância com o nosso pensamento.

Quero aproveitar este espaço de liberdade, para ser livremente livre naquilo que penso e escrevo, sem qualquer tipo de medos ou amarras.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.