Nuno Silva, um trofense excepcional. Vamos fazer dele Personalidade do Ano da P3?

por João Mendes 0

O concelho da Trofa, é sabido, é terreno fértil para o aparecimento de grandes mulheres e homens, gente de trabalho e ambição positiva, e tem dado ao país e ao mundo diamantes do mais elevado quilate. Sobre este capítulo, o ano de 2016 trará a este espaço agradáveis surpresas mas este é o momento de nos focarmos numa dessas estrelas que brilha mais intensamente, quiçá o mais reputado e destacado homem do campo das ciências e da tecnologia que este concelho viu nascer.

Falo-vos do Nuno Silva, engenheiro aeroespacial na Agência Espacial Europeia (ESA), que com apenas 36 anos chefia o departamento "flight dynamics" da Airbus Defense and Space, liderando a missão ExoMars e uma equipa de 22 profissionais que tem como grande objectivo colocar um robô no solo do Marte, em cujo processo de desenvolvimento esteve envolvido desde o início. Trata-se de um programa orçamentado em 1200 milhões de euros sobre o qual poderão ler mais na peça publicada em Setembro passado no P3 do jornal Público

Quando o Nuno triunfa lá fora, o nosso brasão triunfa com ele. Poucos levaram nome da Trofa tão longe – e aqui o termo “longe” assume contornos de uma literalidade sem paralelo – e, se existe algum sentido na expressão “orgulho trofense”, poucos lhe conferem tanta substância como o Nuno Silva. Por tudo isto, convido todos os leitores do …e a Trofa é Minha a acederem ao sítio do jornal Público e a votarem nele para Personalidade do Ano da revista P3 (clicar nesta hiperligação para seguir para a página da votação). Um pequeno gesto que, na minha opinião, deveria mobilizar a sociedade trofense de forma a demonstrar o merecido reconhecimento pelo génio da ciência que esta terra viu nascer. A Trofa também é dele! Boa sorte Nuno!

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.