Coincidências? Não, é apenas a estratégia rasteira do costume.

por João Mendes 0

Coincidência ou não, à medida que se aproxima a data das eleições autárquicas, intensifica-se o aparecimento (ou ressurgimento) de dados polémicos sobre as forças políticas em disputa. Os visados são exclusivamente do PS e do PSD (com a excepção dos cartazes do MIT e da JP que foram recentemente vandalizados), o que nos permite imediatamente concluir a origem dos ataques. E, como de costume, reina o anonimato. Vejamos dois exemplos:

1. No passado dia 7 de Setembro, O Público noticiava que a Procuradoria-Geral da República teria recebido uma denúncia anónima que dava conta de uma situação embaraçosa na Junta de Freguesia de São Mamede do Coronado a envolver o actual presidente (e candidato à União de Freguesias do Coronado pelo PS), o seu tesoureiro e “desvio de verbas e facturas falsas“. Aparentemente, já muitos tinham conhecimento desta situação. E se assim era, de onde vem esta denúncia, porquê o anonimato e, principalmente, porquê agora?

2. O contrato de trabalho do candidato pela coligação Unidos pela Trofa (UPT), do tempo em que assessorava Bernardino Vasconcelos na CMT, tem sido também alvo de movimentações do submundo político dos anónimos. Apesar do valor salarial e do horário de trabalho serem do conhecimento da generalidade dos trofenses há muitos anos, opositores de Sérgio Humberto têm utilizado as redes sociais para espalhar uma cópia do seu contrato de trabalho onde constam dados pessoais confidenciais (o que diz muito sobre o carácter da pessoa que o está a espalhar e que não teve sequer o cuidado de apagar o nº de BI ou de Contribuinte do visado). Um desses anónimos publicou, em diferentes artigos deste blog, um link para uma digitalização do dito contrato.

Neste caso, às questões relativas à situação sobre a JF de São Mamede eu acrescentaria:onde será que este anónimo “independente” foi buscar esse contrato? Será que um contrato de trabalho com dados pessoais pode ser obtido com este nível de facilidade? Ou terá este anónimo um certo nível de “acesso”? É a ideia que fica. E se houve fuga de informação classificada da CMT, então estamos perante uma situação extremamente grave a envolver uma parte interessada no denegrir da imagem pública de Sérgio Humberto e que nos deve preocupar a todos. A informação confidencial alojada na CMT poderá não ser segura e a protecção de dados permeável. Isto deve-nos preocupar a todos!!!

Quem são estas pessoas e quais são os seus objectivos? Serão palandinos defensores da democracia que pretendem apenas e só apresentar “a verdade” à população trofense ou escória política rasteira que procura “lucrar” da destruição da credibilidade de opositores políticos? Será que eles acreditam mesmo que nós acreditamos que isto é tudo uma coincidência que acontece sempre que há eleições? E os perfis falsos no Facebook? E os anónimos denunciados? O que se passa com esta gente? Será que vale mesmo tudo? Parece que sim. A ambição doentia pelo poder transforma pessoas em monstros.

O mais irónico no meio de tudo isto é que muitos destes monstros políticos que praticam este jogo rasteiro são os mesmos que atacam outros por exprimirem a sua opinião quando a mesma não reflecte os seus interesses. São moralistas com discursos ensaiados sobre “sentido de responsabilidade” ou “causa pública”, fazem teatro medíocre com processos de vitimização à mistura que apenas existem nas suas cabeças e ainda nos tomam a todos por idiotas.  Reservam para si o direito de atacar, de todas as formas possíveis, com ou sem argumentos, com ou sem educação, mas quase sempre sem um pingo de imparcialidade. São pessoas movidas pelo poder e pela ganância que não olham a meios para atingir os seus fins. E não nos deixemos iludir: nós somos TODOS irrelevantes para eles.

A rede é uma “faca de dois legumes” (versão Jaime Pacheco) nas mãos do poder político. Tem permitido aos mais organizados explorar um novo segmento de campanha (que no caso da coligação tem sido rentabilizado com mestria), orientado para um público mais “jovem”, onde se encontra uma fatia fundamental de indecisos e abstencionistas que podem mudar o rumo de qualquer eleição, principalmente com o nosso historial de desfecho tangencial.

Porém, há muito quem se enterre na rede. Uns enterram-se por excesso de confiança, outros por erro de cálculo e outros ainda apenas e só por pura ingenuidade. Lembrem-se disso quando avaliarem os resultados no dia 29.Eleição alguma está ganha antes da população ir às urnas. Não subestimem a inteligência do cidadão comum.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.