JE SUIS “O NOTÍCIAS DA TROFA”!

por João Pedro Costa 0

O impedimento do trabalho jornalístico aos profissionais da “Trofa TV “e do jornal “O Notícias da Trofa”, no decurso de um ATO PÚBLICO, na passada segunda-feira, 12 de outubro, organizado pela Junta de Freguesia do Muro, e que contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Trofa, Sérgio Humberto, a pretexto de esclarecer os murenses sobre as últimas novidades do projeto “Metro até à Trofa”, merece um comentário de grande veemência e indignação.

O vídeo divulgado pela “Trofa TV” de 11 minutos e 40 segundos, altura em que os repórteres foram impedidos de continuar a executar o seu trabalho em plenas condições, evidenciam atos que deveriam envergonhar os seus protagonistas, onde se visionam atitudes de aparência deliberada e consciente, encenadas de forma reiterada, de afronta e perseguição (que já não é de agora!) a um meio de comunicação social credenciado, que apenas procurou cumprir o seu dever – informar TODOS os trofenses, de tudo o que a TODOS diz respeito.

O processo ainda fica mais rocambolesco e intrigante, quando o ato público tinha como finalidade anunciar pormenores de uma obra emblemática para a Trofa, pela qual se aguarda há mais de uma década, e cujo desfecho, na ótica dos responsáveis que a negociaram, foi altamente favorável ao interesse de todos os trofenses. Ou não?!

Por muito que se procure lançar atenuantes de diferendos entre A e B (presidente e jornalistas), ou lançar palavras de “amizade” para suavizar factos, mais não é do que mascarar atos prepotentes, de abuso de poder e controlo da informação que, aliás, tem vindo a ser levadas a cabo pelo atual executivo da Câmara Municipal da Trofa, liderado por Sérgio Humberto.

Neste triste momento destaca-se, ainda, a presunção de Sérgio Humberto ao invocar que falava em nome dos trofenses e murenses, para expulsar a comunicação social da sala, sob o lema de que queria ter “uma conversa pública, aberta, franca e transparente com a população do Muro,” mas sem a presença de jornalistas! Carlos Martins, organizador do evento e na condição de presidente da Junta de Freguesia do Muro cedeu e pactuou, iniciando um processo de negociação, do inegociável, perante a clara “fragilidade” do jornalista que, humilhado, se viu forçado a desligar a câmara de filmar!

Estas atitudes, repugnantes, tiveram a sua genesis nas contradições entre Carlos Martins e Pedro Passos Coelho, de há duas semanas, tendo o primeiro-ministro de Portugal afirmado perentoriamente na sua visita à Trofa e aos microfones da Trofa TV “o Metro não está em cima da mesa”, em claro jogo de interesses com políticas de manipulação de informação e contrainformação que aborrece!

Tardam as desculpas públicas e oficiais dos detentores de cargos públicos, quer aos trofenses quer ao órgão de comunicação social visado e seus profissionais (em trabalho), não só porque é justo, mas igualmente para minorar o impacto que a gravidade dos acontecimentos aportam para uma imagem de idoneidade, de gestores da “coisa pública”.

Não posso terminar sem deixar uma palavra de conforto para o jornalista Hermano Martins e a toda a sua equipa pelo esforço continuado na busca da verdade, transmitindo-a a toda a comunidade trofense, mesmo quando a agenda política marca – ordem geral para sonegar informação!

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.