Afinal o PS desceu ao mundo real

por João Mendes 0

Depois de apresentar um apoio fora da esfera do mundo real trofense, o PS Trofa saca um “às de trunfo” de entre os jovens trofenses: Faustino Sousa, um talento emergente do hiphop trofense que faz música na Trofa, sobre a Trofa, com gente da Trofa e que, juntamente com outros lutadores, faz das tripas coração para conseguir levar a sua música um pouco mais além.

Que o PS queira atrair jovens como o Faustino para a sua esfera de influência eu até percebo (vale votos entre uma fatia indecisa, importante e profundamente desacreditada da política que se faz no concelho e no país em geral), mas ver Marco Ferreira da JS falar sobre um “concelho que dá oportunidade aos mais jovens de se afirmarem e expandirem o seu talento” choca-me. Será que o Marco Ferreira se refere ao concerto da semana passada e à Manifest (Manifest essa que, tal como observou a minha colega Silvéria não é um apoio da CMT mas sim uma iniciativa da JS)? Foi isso que a CMT conseguiu fazer em 4 anos para que jovens como o Faustino se tenham afirmado e expandido o seu talento? É dessas oportunidades que falamos? Isso é muito pouco para um discurso tão pomposo, muito pouco. Quase nada.

Estes jovens não precisam de apoio apenas em época de eleições. Estes jovens precisam de políticas coerentes e objectivas para desenvolverem o seu trabalho numa base diária, para que possam levar o seu sonho avante. Pessoas como o Faustino lutam todos os dias para lançar uma música ou dar um concerto. E esse trabalho deve ser remunerado. Quanto terá recebido o Faustino para actuar no passado dia 2? Aposto que nada.

Use-se um edifício devoluto como o da antiga estação e crie-se um espaço para estes jovens ensaiarem, produzirem e darem concertos sem ter que esperar por eleições. Não os usem apenas para campanhas eleitorais. A 61, a Detroifa, a CaixaForte e todos os outros dj’s e mc’s desta terra que quase pagam para actuar e mostrar o seu incrível trabalho agradecem.

“Já que vens à rua, ver como isto está
Deixa-me ir à tua e trazer umas cenas de lá
Dizem que não está fácil por estes lados
Não se nota nada andam com os bolsos recheados”

Desatino (“Isto não está bem” mixtape Introspecçao)

P.S. Após ter escrito este texto, descobri que o novo trunfo jovem de Joana Lima é o ciclista Daniel Silva. Outros se seguirão com certeza. Vou ficar a aguardar o contributo de todos estes jovens para debater a Trofa e o seu futuro (são jovens, devem ter algo a dizer sobre ele e foi isso que percebi quando Marco Ferreira, líder da JS, afirmou que se espera destes jovens que “enriqueçam o debate com as suas experiências”). Para bem desta estratégia, espero que a mesma não se tenha resumido a mostrar caras de gente que apoia esta candidatura caso contrário, e em linha com a designação de “mulher do povo” tantas vezes atribuídas à nossa edil, fico a aguardar pelo cartaz com a cara da D. Maria ou do Sr. Pedro.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.