McHipocrisia política

por João Mendes 0

Street Art@Occupy America

A obesidade ganhou um novo alento no nosso concelho. Ao que tudo indica, desta vez é mesmo a sério: o McDonalds vai finalmente abrir um estabelecimento na Trofa. Pelas interessantes discussões que tenho lido nas redes sociais, a contenda divide-se entre duas facções. De um lado aqueles que saúdam a vinda do estabelecimento, que vai gerar emprego precário e mal pago mas ainda assim emprego, do outro aqueles que se insurgem contra a vinda do gigante norte-americano que irá obviamente prejudicar alguns estabelecimentos locais, nomeadamente aqueles que se dedicam ao fabrico de fast food, dos snack bars às incontornáveis roulotes. Digam o que disserem ninguém consegue competir no segmento do McDonalds sem sair ferido porque mais ninguém consegue vender hamburgueres a 1€, simples. Licenciar este estabelecimento prejudica o comércio local, ponto.

Estou à vontade para falar sobre o assunto porque, sendo eu um cliente muito esporádico dos hamburgueres do Tio Sam, entendo ser de algum cinismo fazer oposição à vinda do McDonalds para o nosso concelho na medida em que ele está por todo o lado, tal como por todo o lado estão outras formas de dar cabo da nossa saúde através da alimentação contra as quais (quase) ninguém se opõe. Gosto muito mais de francesinhas ou do um bom panado em dois do Mingos que são igualmente atentados ao bom funcionamento das minhas funções vitais. E quem não come “porcarias” que atire a primeira pedra.

O interessante é ver esta questão ser instrumentalizada politicamente, o que neste caso específico se reveste de uma espécie de amnésia hipócrita de parte de alguns membros das claques partidárias. Quando no final de 2011 surgiu a hipótese do executivo então liderado por Joana Lima licenciar um projecto semelhante ao agora licenciado pelo executivo Sérgio Humberto, inúmeros sociais-democratas opuseram-se com veemência a esta possibilidade, acusando o poder político de prejudicar o comércio local com tal decisão. O artigo de Tiago Vasconcelos, publicado n’O Notícias da Trofa em Dezembro de 2011 era a expressão da indignação social-democrata, que apesar de retratar apenas a opinião do cronista, acabou por ser o eco mais audível dessa mesma indignação.

Hoje, como de resto acontece com tantos temas cujas opiniões mudam em função dos supremos interesses momentâneos do partido A ou B, assistimos a mais um patético episódio de inversão de papéis, com os mesmos sociais-democratas a elogiar a decisão sábia e as vantagens para a economia local em trazer o McDonalds para a Trofa por oposição aos comentários de socialistas, que por essas redes sociais fora alertam para os perigos que tal decisão constitui, bem como o impacto nefasto que terá na economia local, nomeadamente no sector da restauração. Isto após terem defendido a hipótese de forma acérrima quando a mesma partiu do seu partido. Será que estas pessoas conseguem literalmente apagar a memória daquilo em que supostamente acreditavam ou sujeitam-se a este triste papel por amor à camisola?

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.