E não é que a JSD Trofa tinha razão?

por João Mendes 0

Montagem@Blogue JSD Trofa

Passaram quase três anos desde que no blogue da JSD Trofa surgiauma publicação ilustrada com a montagem que abre estas linhas, na qual a estrutura afirmava tão somente “Que nos valha a força dos Trofenses que não deixa a Festa de Nossa Senhora das Dores escorregar também….“. Tarefa hercúlea: conter essa grave e violenta ofensiva contra os mais altos interesses do concelho que constituiria a transferência de grande parte dos eventos que por cá vão acontecendo para a zona envolvente da nova estação ferroviária. Que trágico destino nos esperaria?

Até ao momento nada de muito trágico. Os eventos que por altura do anterior executivo aconteciam nesta zona da cidade continuam a ter lugar no exacto mesmo local. Em 2015 como em 2014, os desfiles carnavalescos realizaram-se ali, a ExpoTrofa e o Be Live terão o mesmo destino e a Super Especial mantém o percurso. E, valha-nos a força dos trofenses, continuam e continuarão a correr bem.

Posto isto, questiono-me se a JSD Trofa se sente agora mais descansada perante a constatação da sua previsão. Estavam cobertos de razão: com Sérgio Humberto tal como com Joana Lima, os eventos que desciam ameaçadoramente pelo escorrega blogosférico da JSD Trofa lá continuam, e a aposta do PS foi mantida pela coligação PSD/CDS-PP. Haja estabilidade para além da propaganda!

Uma nota final para a profecia da desgraça: que a força colectiva dos trofenses impeça a Festa de Nossa Senhora das Dores de escorregar também e, quem sabe, ser ali bem sucedida como todos os outros restantes eventos que lá acontecem. Se escorregar durante este mandato será de rir. Como de resto toda esta história pateta do escorrega.

Como são belos os perigos que deixam de o ser quando os partidos saltam da oposição para o poder.

*****

P.S. Será que esta dualidade de critérios que opõe o “ai meu Deus que está tudo a escorregar para a estação” ao “continua tudo na mesma mas agora estamos no poder portanto não vale a pena levantar ondas” se enquadra nessa abrangente categoria que é ser-se do contra? Fica para reflexão do caro leitor.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.