A água mais cara do país também passa por aqui

por João Mendes 0

Para quem não teve oportunidade de ver a capa do JN que abre estas linhas, fica aqui para a posteridade mais um daqueles momento em que a Trofa volta a fazer manchete pelos piores motivos. Se a esmagadora maioria dos trofenses já tinha percebido que a factura da água é obscena, ficaram agora a saber, sem sombra para dúvidas, que pagam literalmente a água mais cara do país. E sabemos a quem temos que agradecer.

Em primeiro lugar agradeçamos a Joaquim Couto, homem que governou uma Trofa anterior à emancipação, uma Trofa que contribuía com uma fatia de leão da receita fiscal tirsense mas que recebia em troca meros “peanurs” como diria Jorge Jesus. Segundo um curto comunicado na página de Facebook da CMT, terá sido ele a assinar o contrato que estipula o tarifário da água no nosso concelho, contrato esse que vigora até 2032. O actual executivo afirma ter conseguido reduções no preço mas a verdade é que tal não é minimamente notório.

Em segundo lugar, agradeçamos ao anterior executivo liderado por Joana Lima, que também segundo a publicação do executivo PSD/CDS-PP na página de Facebook da Câmara Municipal da Trofa terá sido o responsável pelo “aumento verificado nas Tarifas de Saneamento dos consumidores Trofenses“, algo que se deve “à passagem da prestação deste serviço de Saneamento para a empresa Águas do Noroeste SA, no âmbito de um Contrato de Parceria, assinado a 5 de julho de 2013, pelo anterior Executivo Municipal liderado por Joana Lima“. O contrato assinado já no final do mandato socialista tem uma vigência de 50 anos. Ficamos portanto presos a este assalto até 2063.

Segundo o executivo, esta é a verdade dos factos. E os culpados são única e exclusivamente os socialistas e eles – a coligação – tudo fizeram para minimizar o impacto. O tempo ocupar-se-á de nos esclarecer. Mas, reza a lenda, a ideia de passar o serviço de saneamento para a Águas do Noroeste (ou empresa similar) nasceu há muitos anos, ainda Bernardino Vasconcelos era presidente da CMT. Será que alguém aparece para reivindicar esta herança, caso a mesma corresponda à verdade?

CMT

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.