Na antecâmara das Legislativas: o apelo ao ódio da JSD Trofa

por João Mendes 0

Primeiro no Facebook e depois no jornal criado pela coligação dominada pelo seu partido, a JSD Trofa levou a cabo mais um exercício de propaganda e tentativa de manipulação da opinião pública trofense, algo que, desde logo, não constitui qualquer tipo de novidade. A única novidade, a meu ver, é o registo marcado pelo ódio e pelo sectarismo presente neste comunicado que surge como a única reacção oficial do regime contra o comunicado do PS Trofa sobre esta espécie de variante, rebaptizada de circular, com que o governo de Pedro Passos Coelho decidiu remendar a decepção de mais uma promessa de décadas levada pelo vento. Curioso: para atacar o PS local, surge a JSD na linha da frente. Para atacar um blogger incómodo escreveu-se um editorial cheio de mentiras no Correio da Trofa assinado por alguém que dá formações aos mesmos jotas. Inédito.

Sobre a posição do PS Trofa falarei na minha próxima intervenção. Hoje vou dedicar alguns minutos a este simpático comunicado que, no meu entender e a julgar pelo número de partilhas feitas pelos “seniores”, parece veicular a posição do PSD Trofa. A estrutura liderada pelos protagonistas da famosa espera de 1 de Maio de 2013 a 2 elementos da JS Trofa começa por identificar-se como uma estrutura “atenta à realidade do concelho“, algo estranho dado o silêncio absoluto a que se remeteu quando o executivo que apoiam favoreceu o Correio da Trofa, a designer do Correio da Trofa e assinou uns quantos ajustes directos suspeitos. Lá está: “lutam por ti” e estão “atentos” desde que tal não interfira com os interesses do partido. Adiante.

Logo no segundo parágrafo deste momento de puro lirismo eleitoralista, o comunicado refere que a posição dos socialistas constitui um “desrespeito pela vontade da população do nosso concelho“. Para além de estar curioso para conhecer a sondagem feita por estas pessoas a uma amostra significativa dos trofenses que lhes confira algum tipo de autoridade para falar em nome de todos nós, noto que a JSD Trofa ignora, por motivos que aparentam ser estratégicos, que a vontade da população trofense sempre foi a construção da variante inicialmente prometida. A solução actual é má? Eu diria que é insuficiente e manifestamente pior mas, como já tive oportunidade de referir na Segunda-feira, é uma solução e é muito bem vinda. Mas se o PS ou qualquer outra entidade entende que esta solução não é a que melhor serve os interesses do concelho, trata-se de uma posição legítima e longe de desrespeitar o que quer que seja. Desrespeitar os trofenses seria, por exemplo, montar um esquema de intimidação e, de seguida, ler um comunicado marcado pela mentira e pela falta de carácter.

Depois o ódio: recorrendo a decisões que vinculam o grupo parlamentar do PS na Assembleia da República (elevação da Trofa e concelho) e o governo Sócrates sobre o cancelamento da vinda do metro para a Trofa, que acusam de eleitoralismo quando também o seu partido se serviu do metro para ganhar votos no passado, a JSD Trofa cataloga o PS Trofa como sendo inimigo da Trofa. Puro ódio. Sectarismo no seu melhor. Se fôssemos por aí, então o PSD Trofa seria também um inimigo dos trofenses por força de decisões passadas de governos sociais-democratas que prejudicaram a nossa terra. Isto é eleitoralismo no seu estado mais básico e primitivo. A isto acrescenta o facto de o executivo socialista nada ter feito em 4 anos e de ter aumentado a divida do concelho em 10 milhões de euros. É preciso ter muita lata para acusar o PS com esta altivez quando foi a governação PSD que enterrou o nosso concelho em dívidas e que, por conseguinte, nos colocou numa situação de ter TODOS os impostos municipais no máximo.

O resto do comunicado resume-se a um discurso populista e demagogo, típico de períodos pré-eleitorais com as Legislativas no horizonte, em que se manipula o discurso do PS Trofa de forma a demonizar a sua acção, se insiste na ideia fabricada de que o PS Trofa está contra os interesses do nosso concelho e se cai no ridículo de acusar os adversários de defender os interesses do partido acima dos interesses do concelho quando tal é também prática comum do partido em que se inserem, algo que facilmente se prova se analisarmosa postura da JSD Trofa face aos ajustes directos feitos pelo anterior executivo versus o silêncio revelador que tem marcado a sua posição sobre os ajustes directos que agora se vão fazendo.

Está aberta a época de caça. Resta-nos esperar que o ódio não chegue a vias de facto. Outra vez. Guardem bem os carros nas garagens e muito cuidado por onde andam à noite que parece que têm havido por aí uns distúrbios…

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.