Não deixem o Cinetrofa cair!

por Miguel Monteiro 0

Pois é caros leitores: fica a sensação que não tivemos dentes para as nozes que nos foram dadas. Apesar do excelente trabalho que considero que foi feito no âmbito desta iniciativa, a afluência da população ficou muito aquém das expectativas, com muitas sessões literalmente às moscas. Espero sinceramente que, apesar do desfecho, o Cinetrofa seja um projecto para manter e que, no futuro, se limem arestas para que a participação da população seja mais efectiva.

Nos últimos dias, algumas pessoas questionaram-me sobre o porquê do meu apoio tão convicto a este projecto, apesar do valor investido que aparentemente não se reviu na participação dos trofenses. A resposta foi simples: porque este é o tipo de iniciativa que estimula culturalmente um meio onde a oferta é praticamente inexistente, porque fazer cair o Cinetrofa à primeira adversidade é ter uma visão de curto prazo e porque este pode muito bem ter sido o ponto de partida para algo que dure por muitos e bons anos, crescendo de ano para ano em qualidade e participação. E a Trofa precisa deste tipo de iniciativas.

Suspeito que o investimento neste projecto será em breve utilizado como arma de arremesso político. É normal e não nos deve surpreender porque a política em Portugal é feita destas coisas. Mas espero que o executivo se mantenha firme na sua continuação, aprendendo com o erros que foram cometidos de modo a optimizar futuras organizações. Enquanto apoiante convicto do Cinetrofa, aproveito para deixar uma sugestão: na próxima edição, em vez de marcar o evento para o período entre Quarta-feira e Sábado, considerem a hipótese de começar e acabar um dia mais tarde. É menos um dia de trabalho pelo meio e mais um dia de fim-de-semana durante o qual mais trofenses poderão usufruir desta oferta. Foi excelente ter tido a oportunidade de ver bom cinema, com excelentes condições a 5 minutos de casa. Fico a aguardar pela edição de 2015!

*****

P.S. A Casa da Cultura tem um enorme potencial e pode ser ainda mais dinamizada pela CMT. Deixo aqui o meu desafio ao presidente Sérgio Humberto e ao vereador da cultura Renato Pinto Ribeiro para que procurem dar mais vida a este maravilhoso espaço que me parece longe de estar a ser aproveitado em pleno. Concertos, conferências, debates ou workshops com os inúmeros artistas que existem nesta terra são apenas a ponta de um icebergue de oportunidades.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.