Quando o peixe morre pela boca #1

por Silvéria Miranda 0

Caros leitores,

Pedia-lhes o favor de atentarem no seguinte parágrafo deste artigo do jornal O Notícias da Trofa*:

“(…)Questionado também, antes da ordem do dia, pela vereadora Joana Lima sobre quando recomeçariam as obras do Parque das Azenhas, Sérgio Humberto afirmou que está “na mão do empreiteiro”, que “já podia continuar a obra” à exceção dos trabalhos da empreitada de reparação dos danos causados pelas cheias, que são trabalhos a mais. A vereadora socialista adiantou estar preocupada com o facto de a obra estar parada há vários meses e questionou de quem é a responsabilidade, se da Câmara se do consórcio. O edil respondeu que o consórcio poderia e deveria ter continuado a obra, pois ainda há trabalhos a fazer, uma vez que não foi pedida a suspensão da mesma.(…)”

Não vêem aqui nada estranho?

*já agora, leiam o artigo na íntegra, no site do jornal, onde são abordados outros assuntos também!

Silvéria Miranda

Sempre tive como velha máxima que os factos são sagrados e as opiniões livres. Foi com essa premissa que criámos este espaço e é por ela que me rejo em cada palavra que aqui escrevo. Sem qualquer interesse que não o de ajudar a construir uma Trofa melhor, mais justa e apelativa, digo orgulhosamente que sou tanto da Trofa como a Trofa é minha!

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.