Pessoas que incomodam pessoas

por João Mendes 0

Por estes dias recebi uma mensagem-recado de uma certa ex-Presidente da Câmara Municipal da Trofa, onde fui acusado de estar incomodado com a sua existência. Pensei em transcrever a conversa, mas depois de reflectir achei melhor não o fazer. Era mau demais.

Inicialmente não percebi a intenção e procurei esclarecimento. Confesso que fiquei sem perceber. Seria para mim? Teria sido engano? Dias depois recebi o esperado esclarecimento. Basicamente tentou fazer de mim parvo. Fui aos arames! Se detesto que me mandem recados, gosto ainda menos que me tentem fazer de parvo. Não admito que pessoa alguma, por mais “importante” ou “influente” que seja (ou que se ache), me envie recados e tente em seguida gozar com a minha cara. E fiz questão de lhe deixar isso muito claro.

E por aqui ficou a conversa. E eu fiquei a perceber o mesmo quanto à origem deste recado. Falei com os meus “conselheiros”. Questionei-os sobre o que poderia ter levado a tal. Disseram-me: “deve ter sido alguma coisa que escreveste“. Respondi-lhes: “mas eu não escrevi mais nada sobre ela desde as Autárquicas. E se na altura lhe fiz criticas directas e não fui abordado desta forma, que sentido faz esta conversa agora?“.  “Não terá sido o teu último texto no blog?“.

Não me parecia. Afinal de contas, as referências que fiz à senhora não eram críticas, mas sim referências à proximidade para com o líder do PS, António José Seguro, algo que é do conhecimento de todos. Não inventei absolutamente nada, não descobri pólvora alguma. Limitei-me a constatar factos relativos às últimas Autárquicas e ao processo relativo à confusão das últimas internas do PS, onde Seguro interveio. Teria sido pela referência à possibilidade dos “joanistas” perderem o poder na Trofa? Nada mais que uma questão perfeitamente plausível perante o cenário actual. Seria a uso do termo “joanistas“? Mas isso é algo tão normal em política que seria estúpido se fosse por ai. O que seria então?

Nisto acendeu-se uma lâmpada por cima da minha cabeça. Penso ter chegado lá. Até porque o que referi acima, principalmente quando comparado com outras críticas feitas no passado, não justificava o envio daquele recado. Talvez tenha sido quando sugeri que “As Legislativas estão a menos de um ano de distância e Seguro sabe quem integrará a sua lista para o Parlamento. Perder um tacho destes na praia e de ânimo leve não será opção para quem “beijou o anel do padrinho”“. Será que a senhora tem lugar cativo numa hipotética lista de AJ Seguro para a próxima Legislatura? Terá sido isso que a incomodou a ponto de enviar uma mensagem tão patética? Terei acertado namouche?

Não sei nem me interessa. Mas quer-me parecer que acertei. De qualquer forma, que sirva o presente texto para que a senhora ex-presidente da CMT ou qualquer outra pessoa que tente no futuro pressionar-me ou de alguma forma limitar a minha liberdade de expressão perceba que não vão lá por aí. Ao contrário do que alguns clones partidários vaticinaram no passado, o blogE a Trofa é Minha veio para ficar e continuará imune a pressões. Enquanto vivermos em Democracia, habituem-se! Não pensaram que o monopólio da crítica política era vosso, pois não?

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.