O Raúl recebeu a sua prenda. Quantos mais haverá por ai?

por João Mendes 0

(Foto: O Notícias da Trofa)

Tal como previsto, o Raúl recebeu a sua prenda. Antecipadamente. Se para o português comum 600€ podem significar um ou mais meses de alimentação e renda, para o conjunto de uma comunidade de cerca de 40.000 pessoas, tal quantia, parafraseando Jorge Jesus, são “peanurs”. A sociedade ouviu o alerta e mexeu-se. Um excelente sinal dado pelas boas gentes da Trofa.

Apesar do Standing Frame ter sido oferecido ao Raúl por Filipa Silva e Telma Carneiro, as duas “fadas-madrinhas” que aparecem na foto com o “afilhado” garanhão que ostenta uma T-shirt a dizer “Miúdas, eu sei que sou giro mas tenham calma deixem-me crescer“, outros trofenses não hesitaram e deram o seu contributo para ajudar a contornar esta situação difícil. Bem-hajam todos eles! Segundo Cristina Oliveira, em declarações aoNotícias da Trofa, este dinheiro ficará numa conta poupança que servirá, no futuro, para pagar outras necessidades do Raúl. É que apesar de alguns idiotas não terem percebido, o equipamento é apenas uma necessidade entre outras que uma criança que sofre de problemas desta natureza precisa. Mas, como em tudo, há sempre um idiota à espreita pronto para conspirar.

Resolvido este problema, é caso para nos questionarmos: será preciso que um problema destes se torne mediático para que a comunidade tome a iniciativa de agir? Quantos meninos como o Raúl ou a Inês moram na nossa rua e nós nem imaginamos ou assobiamos para o lado porque não é connosco? Será que o nosso conceito de solidariedade se resume a receber um saco do Banco Alimentar das mãos de um escuteiro, na porta do supermercado e colocar lá dentro 2 pacotes de arroz e 1 da massa para não parecer mal? Assim é fácil. É que neste país (des)governado por piratas financeiros e tachistas do bloco central, existem cada vez mais casos extremos, muitas vezes mantidos no anonimato por medo ou vergonha. Olhem à vossa volta e estendam a mão a quem puderem, quando puderem. Há mais miséria por ai do que aquela que passa nos jornais.

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.