Europeias 2014: a visita de Elisa Ferreira e as obras da EST

por João Mendes 0

(Foto: O Notícias da Trofa)

Em contexto de pré-campanha para as Europeias do próximo dia 25 de Maio, a eurodeputada Elisa Ferreira visitou o nosso concelho no passado dia 6, tendo-se deslocado à Escola Secundária da Trofa (EST) e ao CENFIM, acompanhada pela Comissão Política Concelhia do PS Trofa. Até Joaquim Couto, esse mecenas da emancipação da Trofa, cá veio dar o ar da sua graça. Não vá o diabo tecê-las e uma qualquer futura reforma autárquica lhe devolva parte do império colonial perdido, veio cá dar uma espreitadela ao que o poderá aguardar.

Elisa Ferreira fez o seu papel. Criticou o governo pelo desinvestimento na educação, o que não é mentira nenhuma, num país que financia cada vez mais o ensino privado. A obra no liceu da Trofa foi apenas uma de várias que foram interrompidas na sequência da subida ao poder de Pedro Passos Coelho e subsequente abandono do projecto Parque Escolar que, apesar de alguns compadrios que o marcaram negativamente (como a esmagadora maioria das obras públicas neste país), não deixa de ser um investimento fundamental num país que se pretende competitivo e empreendedor.

Mas não foi a Escola Secundária, ou o CENFIM, que trouxeram a nº 4 da lista do PS para o Parlamento Europeu à Trofa. Elisa Ferreira veio cá fazer campanha. E foi precisamente nesse contexto que a eurodeputada fez menção a outras feridas abertas no desenvolvimento do nosso concelho, como os casos do metro ou da variante da N14, obras que foram promessas do seu partido em actos eleitorais anteriores no nosso concelho e que nunca se materializaram. Só lhe faltou trazer a antiga secretária de Estado Ana Paula Vitorino para fazer o pleno.

A realidade é que as obras mais urgentes para o real desenvolvimento do concelho continuam paradas. Os alunos da EST continuam a ter aulas em contentores, o trânsito continua a ser caótico num concelho que pretende atrair investimento e o metro já não passa de uma miragem lá longe. Mas sempre que cheira a eleições, todas estas (e outras) questões emergem criando falsas expectativas nos trofenses, que observam o adiamento ad eternum do desenvolvimento, mandato após mandato, campanha após campanha, falsa promessa após falsa promessa. Estamos fartos de discursos de camuflagem para a inoperância e aproveitamento político de circunstância. Queremos mais soluções e menos narrativas gastas. Já chega de usar o nosso futuro como arma de arremesso eleitoral!

João Mendes

Radicalmente contra todas as formas de instrumentalização dos recursos públicos em função dos apetites partidários e com um apetite insaciável pela desconstrução de mentiras e outros embustes que nos são diariamente oferecidos pelas elites dirigentes, a minha luta é por um concelho da Trofa mais transparente, mais íntegro e no sentido da evolução contínua, onde o poder cuja função é servir-nos pode e deve ser questionado. Das pessoas para as pessoas, sem medo nem clientelas.

Comentários

Deixar um comentário

Faça Login para comentar.